Indicação do mês

fevereiro 2017

O curador:

Martha Medeiros

Nascida em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no ano de 1961, Martha Medeiros trabalha como colunista dos jornais O Globo, Zero Hora e Diário Catarinense. Seus vinte e quatro livros já venderam mais de um milhão de exemplares, tornando-a um dos nomes mais célebres da literatura brasileira contemporânea. Em 1985, seu primeiro livro, “Strip tease”, foi lançado junto a uma coleção de prestígio na época, intitulada “Cantada literárias”, que lançou artistas brasileiros importantes como Leminski, Ana Cristina César, Alice Ruiz e Caio Fernando Abreu. Estimulada pela boa repercussão – e pelo próprio ímpeto criativo –, Martha passou a dedicar a maior parte do seu tempo para a escrita. Entre alguns de seus trabalhos de maior relevância e popularidade, destacamos a coletânea de crônicas “Trem-bala” (1997), obra que ajudou a consolidá-la como uma das mais importantes cronistas brasileiras, “Divã” (2002), romance que virou peça de teatro, filme e série de televisão, e “Feliz por nada” (2010), outro de crônicas que obteve tamanho sucesso que já passou de cinquenta e sete edições. Mesmo com todo o reconhecimento, Martha mantém os pés no chão. Como explicar seu sucesso? “Escrevo sobre assuntos cotidianos com um vocabulário acessível, sem nenhum hermetismo, o que atrai o leitor. Ao mesmo tempo, não há banalidade: quase sempre escolho temas ligados à psicologia, à complexidade da nossa existência e dos nossos sentimentos, e não há quem não se identifique com isso, todos nós temos questões internas e gostamos quando elas são trazidas à tona.”

O livro indicado:

Nascido e criado em solo americano, o protagonista do livro indicado por Martha Medeiros tem problemas para encontrar uma identidade própria. Vive entre costumes herdados dos pais e da comunidade indiana com a qual se relaciona, ao mesmo tempo em que observa a cultura americana ao redor, reproduzida por ele e por seus amigos.

Embora seja uma obra ficcional, foi inspirada na vida da própria autora e de pessoas com quem conviveu, retratando a busca por se reconhecer em uma sociedade completamente estranha aos seus pais, suas origens, seu passado.

A sensibilidade da autora, vencedora do Prêmio Pulitzer, desperta no leitor imediata empatia pelos personagens, retratados com realismo e delicadeza. A experiência do imigrante é apresentada por meio de uma narrativa fluida, com sutis recortes do cotidiano dos personagens. 

 

Todos nós somos seres em constante adaptação, procurando adequar-se a esse mundo cada vez mais multicultural e sem fronteiras. É uma boa história, é bem escrita e nos dá a oportunidade de conhecer uma autora que poucos ouviram falar a respeito. Sou uma autora apaixonada por viagens e certos livros, como este, são excelentes portões de embarque também. Espero encontrar os amigos da TAG a bordo, desfrutando este delicioso passeio.

Martha Medeiros

Receba
nossa

Newsletter