Livros / TAG Inéditos

Resenha: A única mulher, de Marie Benedict

Share this post

Gostou de A única mulher, de Marie Benedict? Veja a resenha da Duda Menezes:

 

 

4 comments

Maria albertina gamboa 20 de julho de 2019 Responder

sinceramente ganhei o livro achei uma porcaria ,,eu tenho 78 anos …esta autora leu menos do que eu pois escreveu copia de historia e reportagens ja lidas tudo que ela escreveu ja e lido e sabido ,,Alias ganhei de presente desta editora alen deste livro tres livrinhos …Moça sinto muito mais e so enfeite de capa

    Rhayssa julianne 17 de setembro de 2019 Responder

    Com todo o respeito, entendo seu lado, porém, tenho 14 anos e no começo também não gostei, mas quando me aprofundei me perdi na história, a autoria apresenta, e faz referências, a fatos verídicos, assim ensinando história como brinde dessa história magnífica

A crítica acima da leitora é bem deselegante. O livro “A única mulher” é bem escrito e retrata bem uma época que eu não conhecia – como o machismo é cruel, além de todo o contexto do nazismo. A pessoa que escreveu a crítica acima da minha, a senhora Maria Albertina, deveria ao menos saber diferenciar o “mais” do “mas” antes de atacar o currículo de alguém. Sendo mais velha e experiente, poderia ter mais empatia e sabedoria ao falar. Eu parabenizo pelo livro

Andréa 5 de novembro de 2019 Responder

A história é interessante por si só, porém, ao optar por uma narrativa linear e temporal, a autora perde em desafiar o leitor. Achei um bom livro pela própria personagem principal, não pelas habilidades da autora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados