Curadores / Listas / As três Marias, de Rachel de Queiroz

5 motivos para se apaixonar por Heloisa Buarque de Hollanda

Heloisa Buarque de Hollanda motivos-para-se-apaixonar-por-heloisa-buarque-de-hollanda Share this post

Nascida na paulista Ribeirão Preto, em 26 de julho de 1939, Heloisa Buarque de Hollanda (que, a despeito do que se poderia inferir, não tem nenhum parentesco com Chico Buarque) vem, desde os anos 60, contribuindo das mais variadas e criativas formas para o estudo, o reconhecimento e a democratização da cultura no Brasil. A professora, crítica literária, pesquisadora, ensaísta, editora e jornalista é a curadora de novembro da TAG. Sua atuação envolve a busca pelo diálogo entre espaços historicamente distanciados, como as comunidades periféricas e as universidades, a valorização da produção marginal – em especial, a poesia, sua grande paixão –, a pesquisa dos potenciais da tecnologia na produção e no consumo da cultura, além de uma preocupação constante com questões de raça e de gênero.

Entre seus livros publicados, destacam-se 26 poetas hoje (1976), Macunaíma, da literatura ao cinema (1978), Impressões de viagem (1980), Cultura e participação nos anos 60 (1982), Pós-Modernismo e política (1991), Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura (1994) e Escolhas, uma autobiografia intelectual (2009). Entre tantos outros, separamos 5 motivos para se apaixonar por Heloisa Buarque de Hollanda.

1 – EM 1976, PUBLICOU A ANTOLOGIA DE POEMAS 26 POETAS HOJE.

A obra alavancou sua reputação como crítica literária. “Na época, avaliava esta publicação como uma forma de divulgar, num circuito mais amplo, uma produção e um debate que encontravam certa resistência no meio acadêmico”, ela conta na autobiografia Escolhas. O livro é hoje um cânone, amplamente utilizado em vestibulares pelo Brasil. 26 poetas hoje evidenciou artistas como Francisco Alvim, Torquato Neto, Ana Cristina Cesar e Waly Salomão.

2 – IDEALIZOU O PROJETO UNIVERSIDADE DAS QUEBRADAS.

Hoje, uma de suas grandes realizações intitula-se Universidade das Quebradas, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O projeto promove o diálogo de produtores culturais e artistas das periferias com a comunidade acadêmica – círculo com a qual Heloisa, desde muito jovem, esteve envolvida.

3 – LIDEROU INICIATIVAS LIGADAS ÀS QUESTÕES LITERÁRIAS DE RAÇA E GÊNERO.

Duas das principais delas, lideradas por Heloisa nos anos 80, foram o Projeto Abolição, com o objetivo de estudar questões raciais na arte brasileira, e Mulher e Literatura. Este, por sua vez, envolveu a documentação de relatos sobre as “matriarcas” nordestinas – as mulheres dos proprietários de terras que exerciam grande liderança quando estes não estavam presentes e tinham como característica a personalidade combativa e as resistências que se faziam necessárias frente à sua condição social e de gênero.

4 – DURANTE A DÉCADA DE 70, DEDICOU-SE A OUTRAS ÁREAS DO CONHECIMENTO.

O “vazio cultural”, rótulo que acompanhava o Brasil durante o período de repressão política no país, pareceu aumentar o interesse de Heloisa em demonstrar o contrário. Ela aproveitou a falta de espaço na universidade para se arriscar no cinema, rádio e outras áreas da cultura.

5 – INDICOU PARA OS LEITORES DO CLUBE UM LIVRO DE UMA DAS MAIORES ESCRITORAS BRASILEIRAS DE TODOS OS TEMPOS.

Publicada na década de 30, a obra indicada à TAG pela curadora retrata os diferentes papéis sociais exercidos pelas mulheres no século passado. O relato íntimo da narradora do livro descreve sua trajetória e as de outras duas personagens, detalhando a amizade que se formou durante a passagem por um internato de freiras, na infância, e a experiência urbana, na vida adulta, onde cada uma seguirá um destino diferente. A protagonista da obra buscará a liberdade e a autonomia em sua trajetória, entre fugas e retornos, amores proibidos, estagnação, perdas e angústias, em um retrato social da primeira metade do século XX no Brasil. Em plena década de 30, a autora do livro quebrou o paradigma machista dominante. Com talento, publicou seu romance e hoje é considerada uma das maiores escritoras da história da literatura brasileira.

Os associados da TAG receberão o kit contendo a obra indicada por Heloisa Buarque de Hollanda em suas casas durante o mês de novembro. As inscrições para receber a caixinha estão abertas até o dia 08/11/17. Saiba mais em www.taglivros.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*