Listas

Jovens escritores brasileiros que você precisa ler

Julián Fuks (Foto: Tomas Bertelsen), Natalia Polesso (Foto: Monica Imbuzeiro) e Carol Bensimon (Foto: Fabrício Sviroski) Share this post

A literatura brasileira, além de detentora de grandes escritores clássicos, tem revelado cada vez mais novos talentos. Com um futuro promissor pela frente, a nova literatura do país certamente merece um lugar em todas as estantes. Se você não sabe por onde começar suas leituras, indicamos abaixo alguns escritores com menos de 40 anos e que vêm ganhando espaço na cena literária nos últimos anos.

Antônio Prata

O escritor e cronista Antônio Prata, considerado um renovador da crônica brasileira, também escreve roteiros para televisão e cinema e já lançou livros infantis, entre eles Felizes quase sempre (2013), com ilustrações de Laerte. Seu último livro de crônicas, Trinta e poucos (2016), é um apanhado das colunas do autor na Folha de S. Paulo sobre os sentimentos que acompanham essa idade.

Carol Bensimon

Carol Bensimon é escritora e tradutora. Seu segundo livro, Sinuca embaixo d’água(2009), foi finalista dos prêmios Jabuti, na categoria Romance, e São Paulo de Literatura. Seu livro mais recente, Todos nós adorávamos caubóis (2013), é sobre a relação entre duas mulheres que se reencontram após anos para realizar uma viagem de carro.

Daniel Galera

Daniel Galera já conquistou importantes prêmios por sua prosa de ficção, entre eles o Prêmio São Paulo de Literatura e o 3º lugar do Jabuti na categoria Romance por Barba ensopada de sangue (2012). Suas obras já foram adaptadas para as telas nos filmes Prova de coragem (2014), adaptado do livro de Mãos de cavalo(2006), e Cão sem dono (2006), adaptação de Até o dia em que o cão morreu(2003). O escritor também atua como tradutor de literatura contemporânea de língua inglesa.

Julián Fuks

Filho de argentinos, Julián Fuks nasceu em São Paulo em 1981. Merece destaque o romance A resistência (2015), vencedor do Prêmio Jabuti na categoria Romance em 2016. Nele, o escritor aborda com sensibilidade temas como adoção, exílio e memória na busca do narrador pela história de sua família na Argentina, anterior ao exílio no Brasil.

Luisa Geisler

Os dois primeiros livros da escritora gaúcha de 25 anos, a coletânea de contos Contos de mentira (2011) e o romance Quiçá (2012), foram vencedores do Prêmio SESC de Literatura. A eles, se seguiu Luzes de emergência se acenderão automaticamente (2014), publicado pela editora Alfaguara. Em 2012, aos 21 anos, Luisa foi a mais jovem escritora a figurar na antologia de contos Os melhores jovens escritores brasileiros, da revista literária britânica Granta.

Natalia Borges Polesso

Outra vencedora do Prêmio Jabuti de 2016, Natalia Borges Polesso ganhou destaque ao vencer na categoria de Contos e Crônicas com o livro Amora (2015). As histórias, além de terem em comum o fato de retratarem as relações homossexuais entre mulheres, falam do medo da descoberta e do encontro de si mesmo fora dos padrões estabelecidos.

Raphael Montes

Dias perfeitos (2014), segundo romance de Raphael Montes, foi publicado em mais de 14 países. Ele e Suicidas (2012) tiveram seus direitos comprados para adaptação cinematográfica. Segundo o jornal britânico The Guardian, “Raphael Montes é capaz de aliar a atmosfera de suspense de um filme de Alfred Hitchcock ao humor negro de Quentin Tarantino”.

Tatiana Salem Levy

De nacionalidade brasileira, Tatiana nasceu em Lisboa quando sua família estava exilada em Portugal. Seu elogiado romance de estreia, A chave de casa (2007), é uma volta às raízes. A protagonista do livro, que é, assim como a escritora, de origem turca, recebe do avô a chave da antiga casa da família na Turquia. A partir daí, a obra é tecida pela evocação de memórias e pela busca da herança familiar.

Vanessa Barbara

Vanessa é jornalista e seu primeiro livro solo recebeu o Prêmio Jabuti na categoria Reportagem. O livro amarelo do terminal (2009) conta o dia-a-dia na Rodoviária do Tietê, em São Paulo. A paulista já escreveu, em parceria com outros autores, um romance, um livro infantil e uma história em quadrinhos. Também publicou os romances Noites de alface (2013) e Operação impensável (2015).

9 comments

Karina 15 de janeiro de 2018 Responder

Eu indicaria também o autor de fantasia William Tannure.

Samuel 24 de janeiro de 2018 Responder

É sempre bom valorizar as obras nacionais, com certeza irei explorar mais estes autores.

Muito Obrigado!!

Antonino 30 de janeiro de 2018 Responder

Eu indicaria Arthur Chrispin. Amém é um livro muito bom, com um estilo de narrativa veloz.

Thiago 30 de janeiro de 2018 Responder

Eu recomendaria também o Eric Novello, ainda li muito pouco de suas obras, mas do que eu li recomendo muito o livro Neon Azul.

roberto oliveira 30 de janeiro de 2018 Responder

Esqueceram Paulo Scott. Nos demais acertaram em cheio.

Michele 30 de janeiro de 2018 Responder

Adicionei alguns à lista de próximas leituras.

Mas faltou Victor Heringer aqui, ele merece entrar nessa lista com honras.

Lilian 2 de fevereiro de 2018 Responder

Recomendo Flávio Izhaki e o seu livro “Tentativas de capturar o ar”.

Renata 10 de fevereiro de 2018 Responder

Recomendo “O filho do meu noivo” de Jéssica Amaral

Maria Tereza dos Santos Rodrigues 2 dias atrás Responder

Achei a lista ótima. Sou boa leitora, mas desconhecia essa gente toda nova de escritores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados