Listas

Os escritores autodidatas

Charles Dickens Share this post

É comum que escritores interessados em expandir suas técnicas, referências e conhecimentos decidam atingir seus objetivos com o auxílio de cursos voltados para a Literatura. Jhumpa Lahiri e Angela Carter, autoras das obras dos meses de fevereiro e março da TAG, por exemplo, levaram os estudos acadêmicos a sério para só depois arriscarem-se a publicar livros. Outros, entretanto, não têm acesso a esse luxo e estudam por conta própria. Os quatro escritores listados a seguir não passaram por estudos formais para se consagrarem no mundo literário.

Jack Kerouac
O mais célebre autor da Geração Beat já sabia que queria ser escritor desde jovem, mas sua entrada no mundo acadêmico se deu a partir de uma bolsa de estudos esportiva: Kerouac era um talentoso running back do time de futebol americano da Universidade de Columbia. Problemas com o técnico e uma fratura na tíbia encurtaram sua carreira e ele desistiuda universidade. A estadia em Nova York, porém, possibilitou-lhe que conhecesse diversos outros
escritores (como Allen Ginsberg e William Burroughs) que, com ele, marcariam uma geração.

William Faulkner
O vencedor do Nobel de Literatura de 1949 nunca teve um diploma universitário; por medir um metro e sessenta, foi recusado pelo serviço militar americano e acabou por alistar-se na força aérea canadense, onde serviu por um ano. Mais tarde, entrou na Universidade do Mississipi, mas logo largou os estudos e foi trabalhar como assistente numa livraria, pouco antes de lançar sua primeira coletânea de poemas, aos vinte e sete anos.

Harper Lee
Harper Lee já se interessava por literatura desde a época do colégio, mas decidiu estudar Direito na faculdade. Depois de alguns anos acumulando frustrações, ela abandonou os estudos e partiu para Nova York com o objetivo de se tornar escritora; em 1960, lançou sua única obra, O sol é para todos, que venceu o Prêmio Pulitzer e é considerado hoje um dos grandes clássicos da literatura americana moderna. Em 2015, cinquenta e cinco anos após o lançamento de seu primeiro livro, Lee lançou a sequência, intitulado Vá, coloque um vigia.

Charles Dickens
Com mais sete irmãos, Dickens recebeu uma educação formal esporádica, que foi interrompida quando seu pai foi preso e ele passou a trabalhar, com apenas doze anos de idade, em uma fábrica com condições de trabalho degradantes. Mais tarde, seu pai foi soltoe ele voltou aos estudos, apenas para abandonar em definitivo aos quinze. A infância sofrida foi ponto de partida para a maioria das obras de Dickens, em especial David Copperfield, considerado o mais autobiográfico de seus livros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados