Livros / TAG Curadoria / Uns e outros – Contos espelhados, de vários autores

Veja quem são os 10 autores que escreveram o livro inédito da TAG

Share this post

Em julho, a TAG está de aniversário! Em comemoração aos 3 anos de vida, preparamos o maior projeto da nossa história: um livro inédito, escrito especialmente para os associados. Os escritores Luiz Ruffato e Helena Terra desafiaram dez grandes autores de língua portuguesa a selecionarem um conto clássico e a escreverem suas releituras, e a coletânea trará tanto os contos inéditos escritos para a TAG quanto os contos originais nos quais os autores se basearam.

Curioso para saber quem são os 10 escritores desafiados por Luiz Ruffato e Helena Terra? É só espiar abaixo!

Beatriz Bracher

Foto: Francisco Perosa

Aos 55 anos, a escritora e roteirista paulista Beatriz Bracher percorreu um longo caminho até ter a certeza de se reconhecer como escritora. Entre 1988 e 1991, trabalhou como editora na revista de literatura 34 Letras, e em seguida na editora 34. Aos 39 anos, deixou o trabalho na editora e tirou um ano sabático para escrever seu primeiro livro: Azul e dura (2002). Seguindo um método disciplinado, publicou mais três romances e dois livros de contos.

Luiz Antonio de Assis Brasil

Foto: Site pessoal do autor

O escritor e professor universitário Luiz Antonio de Assis Brasil é, além de um dos mais consagrados ficcionistas gaúchos, um grande incentivador da produção literária do Rio Grande do Sul. Desde 1985, ele ministra, ininterruptamente, a mais antiga Oficina de Criação Literária do Brasil. Em 1974, publicou seu primeiro romance, Um quarto de légua em quadro (1976). Desde então, a obra de Assis Brasil já contabiliza vinte romances e prêmios como Açorianos, Jabuti e Machado de Assis.

Eliane Brum

Foto: Lilo Clareto/Divulgação

Nascida em 1966, no Rio Grande do Sul, Eliane Brum publicou seu primeiro romance, Uma duas, em 2011. Além de escritora, Eliane é uma das jornalistas brasileiras mais premiadas, tendo atuado como repórter no jornal Zero Hora, de Porto Alegre, e na Revista Época, de São Paulo, além de ter contribuído para os jornais El País e The Guardian. Em consonância com sua carreira jornalística, publicou livros de reportagens, como O olho da rua – uma repórter em busca da vida real (2008).

Milton Hatoum

Foto: Fernanda Preto

O escritor, tradutor e professor Milton Assi Hatoum, nascido em Manaus, em 1952, é um dos mais célebres nomes da literatura brasileira contemporânea. Vencedor de prêmios Jabuti e inúmeros outros internacionais, seus livros já foram traduzidos para doze idiomas e publicados em quatorze países. Formado em Arquitetura, deu início à carreira literária em 1989 com o romance Relato de um certo Oriente, vencedor do Prêmio Jabuti. Em 2000, publicou Dois irmãos, que recebeu uma premiada adaptação em quadrinhos, assim como uma minissérie televisiva. Seus outros dois romances, também de ótima recepção de público e crítica, são Cinzas do norte (2005) e Órfãos do Eldorado (2008).

Ana Maria Gonçalves

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Nascida em Ibiá, Minas Gerais, em 1970, a escritora, roteirista e dramaturga Ana Maria Gonçalves é uma das vozes mais atuantes do Brasil em assuntos raciais e culturais. Sua obra mais proeminente é o romance Um defeito de cor (2006), vencedor do Casa de las Americas, maior prêmio latino-americano de literatura, na categoria “melhor romance brasileiro”. Temas como miscigenação, trabalho escravo, resistência cultural, maternidade, abolicionismo e feminismo integram o impressionante romance de Gonçalves, que considera a obra e os 5 anos de pesquisa mais relevantes para sua busca identitária do que os 35 vividos até então.

Paulo Lins

Foto: Imago Eastnews

O carioca Paulo Lins é romancista, roteirista e poeta. Nascido em 1958, morou durante a infância na favela Cidade de Deus e estabeleceu, desde jovem, um contato íntimo com a música – em especial o samba. Em 1986, lançou seu primeiro livro de poemas, Sobre o sol, e, em 1997, o romance Cidade de Deus. Este recebeu uma adaptação cinematográfica, em 2002, que ganhou o mundo, recebendo indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro. Lins passou a escrever roteiros para cinema e televisão e só voltou a publicar um livro em 2012, com Desde que o samba é samba.

Ivana Arruda Leite

Foto: Edson Kumasaka

Ivana Arruda Leite, nascida em 1951, no estado de São Paulo é Mestra em Sociologia pela Universidade de São Paulo. A autora já publicou contos, romances e literatura infanto-juvenil, tendo como marca a sua preferência por assuntos muitas vezes evitados pelos escritores: racismo, violência e desigualdade de gênero. Entre seus livros, destaca-se o primeiro romance, Hotel novo mundo (2009), finalista do prêmio Jabuti. Antes, Ivana havia publicado três coletâneas de contos: Histórias da mulher do fim do século (1997), Falo de mulher (2002) e Ao homem que não me quis (2005).

José Luís Peixoto

Foto: Patrícia Pinto

José Luís Peixoto, o único europeu presente na coletânea, é um dos escritores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea, com livros traduzidos para mais de vinte idiomas. É autor de romances, contos, poemas, peças de teatro e livros de viagem. Nasceu em 1974, na aldeia de Galveias e foi professor em diversas escolas portuguesas e na Cidade da Praia, em Cabo Verde. Em 2001, quando conquistou o Prêmio Literário José Saramago pela obra Nenhum olhar (2000), tornando-se o mais jovem vencedor, passou a se dedicar profissionalmente à escrita. Em 2016, recebeu, no Brasil, o Prêmio Oceanos, com Galveias (2014).

Maria Valéria Rezende

Foto: Divulgação

A escritora e educadora paulista radicada na Paraíba Maria Valéria Rezende, de 75 anos, foi vencedora de prêmios importantes como o Jabuti e o Casa de las Americas. Desde 1965, é freira e vive em João Pessoa, em uma comunidade de irmãs idosas. Sua carreira literária teve início aos 59 anos de idade, com a compilação de contos Vasto mundo (2001). Sua obra – que além de contos e romances também inclui poemas e literatura infanto-juvenil – utiliza-se de referências da cultura erudita e da popular, tem o semiárido nordestino como cenário frequente e vivências pessoais como mote para as narrativas.

Cristovão Tezza

Foto: Ana Tezza/Divulgação

Cristóvão Tezza nasceu em Santa Catarina e foi professor universitário de Língua Portuguesa até 2009, quando passou a dedicar-se exclusivamente à literatura. Publicou seu primeiro livro, A cidade inventada(1979), aos 35 anos. Desde então, sua extensa obra abrange contos, ensaios, crônicas e romances, entre eles, O filho eterno (2007), que recebeu o Prêmio Jabuti de melhor romance. O livro, considerado pelo jornal O Globo como uma das dez melhores obras de ficção da década, foi traduzido para francês, inglês, espanhol, polonês e italiano, além de ter sido adaptado para o teatro e para o cinema.

Se você já quer ir se aquecendo para o livro de julho, agora sabe por onde começar suas leituras! Ainda não é associado e quer ter na sua coleção esse livro inédito, que não será vendido em livrarias? Faça parte do clube!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados