Sem categoria

7 livros clássicos para você ler e se apaixonar

livros clássicos que você precisa ler Share this post
     Ana Souza

Se você ainda acredita que as obras clássicas são muito complicadas e meio entediantes e, definitivamente, não são para você, a gente te faz um pedido. Dê uma segunda chance aos livros clássicos e confira a lista que preparamos de livros clássicos para você ler e se apaixonar. 

Completamente fora do óbvio, as 7 obras que trazemos nessa lista compõem uma volta ao redor do mundo, através de épocas e culturas diversas — mas com histórias universais que conquistaram muitos corações ao longo do tempo.

Caso você já seja uma pessoa apaixonada por livros clássicos, nesta lista você encontrará ainda mais motivos para defendê-los e convencer outras pessoas da sua paixão. Além disso, expandirá seu repertório de clássicos com obras fora do eixo América do Norte-Europa

 

A festa ao ar livre, de Katherine MansfieldA festa ao ar livre, de Katherine Mansfield (Nova Zelândia,1922)

A neozelandesa Katherine Mansfield é considerada um dos grandes nomes na arte da narrativa curta na literatura mundial.

Muito admirada por seus contemporâneos, como Virginia Woolf e D. H. Lawrence, a autora recebeu, em sua época, reconhecimento do público e da crítica por sua escrita. “Festa ao ar livre” é uma coletânea de quinze contos marcados por temas como as relações sociais, os papéis de gênero na sociedade, o isolamento, a vida e a morte — e revelam o estilo inovador e perspicaz da autora, bem como sua técnica impressionante de narrar situações aparentemente corriqueiras de forma profunda e envolvente.

 

Coração, de Natsume SosekiCoração, de Natsume Soseki (Japão – 1914) 

No Japão do início do século XX, ainda mais do que no resto do mundo, tudo que era sólido se desmanchava no ar. Todo esse pano de fundo histórico-sociológico-político-cultural se reflete diretamente na obra de Natsume Soseki, considerado seu melhor intérprete literário.

Este livro, obra final e mais celebrada do autor, pulsa entre vários mundos: o mundo particular dos dois personagens principais e o da sociedade à sua volta; o mundo da cultura tradicional japonesa e o da modernização ocidentalizante; o mundo da política interna japonesa e o da política internacional. É, assim, um romance que capta as fortes pulsações desses mundos distintos e reconstrói o modo como elas ecoam na vida dos dois personagens, “eu” e “professor” — como que para indicar tensão, os personagens não têm nome.

 

Esaú e Jacó, de Machado de AssisEsaú e Jacó, de Machado de Assis (Brasil, 1904)

Dois jovens bem-nascidos, os gêmeos Pedro e Paulo, viviam em intermináveis conflitos e reconciliações desde o útero da mãe até o começo da idade adulta. 

Os irmãos lutam pelo amor da jovem Flora Batista, cujo enredo é narrado em terceira pessoa pelo conselheiro Aires – alter-ego de Machado de Assis, que usa o personagem para as suas reflexões autorais.

Com “Esaú e Jacó”, penúltimo livro escrito por esse grande autor brasileiro, Machado inventa um novo estilo de narrar e consolida uma das características mais responsáveis por eternizá-lo na literatura brasileira e mundial: sua grande capacidade em desenvolver e aprofundar o psicológico de seus personagens.

 

Mhudi, de Sol PlaatjeMhudi, de Sol Plaatje (África do Sul – 1930) 

Mhudi é o primeiro romance escrito em inglês por um homem negro do continente africano, e tornou-se um dos marcos fundamentais da literatura sul-africana.

Escrito pelo político, literato e jornalista sul-africano Sol Plaatje ao longo das décadas de 1910 e 1920, mas publicado somente no ano de 1930, este livro conta a história de amor entre uma refugiada e seu marido enquanto eles vagam pelas paisagens — naturais e sociais — da África do Sul em meados do século XIX, num momento em que o país sofria o impacto de muitas transformações.

 

 

Ao farol, de Virginia WoolfAo Farol, de Virginia Woolf (Inglaterra, 1927)

Tratado por muitos como o ápice literário de Virginia Woolf e considerado um dos mais influentes romances do século XX, este livro conta a história de uma família que vai viajar nas férias de verão para a Ilha de Skye, na Escócia.

Ao farol é um livro rico e multifacetado que, por um lado, revela a vida de uma família inglesa abastada da época, a ameaça da guerra, a tensão das relações familiares e os conflitos entre homens e mulheres; e, por outro, constitui-se numa delicada reflexão sobre a inevitabilidade da passagem do tempo e da morte, propondo uma jornada à consciência dos personagens e refletindo sobre a natureza da arte.

 

A casa da alegria, de Edith WhartonA casa da alegria, de Edith Wharton Estados Unidos (1905)

Clássico da literatura estadunidense e mundial, A casa da alegria retrata a subjetividade feminina, o empoderamento e a própria construção do que é ser mulher no início do século XX. 

Ambientado na Nova Iorque do século XX, este romance revela a alta sociedade estadunidense e seus hábitos, desejos, segredos e ostentações. Em meio a essa realidade, encontra-se Lily Bart, uma jovem linda e educada que se vê financeiramente desamparada após a morte de seus pais. Ela é, então, acolhida pela tia, a única parente que se dispõe a ajudá-la, e passa a fazer o possível para se manter entre os grandes figurões da sociedade, embora suas condições não permitam que mantenha seus luxos.

 

O duelo, de Anton TchekhovO duelo, de Anton Tchékhov (Rússia, 1891)

Adaptado várias vezes para o cinema e para o teatro, neste clássico russo do celebrado Anton Tchékhov (1860-1904), acompanhamos a história de Nadiéjda e Ivan Laiévski — jovem casal de intelectuais que se muda de São Petersburgo para uma cidadezinha litorânea, à beira do mar Negro, com sonhos de uma vida de trabalho simples e contato com a natureza. A perspectiva é ameaçada pelo caráter incerto de Laiévski pelo seu vício em jogos e bebida; até que um dia ele acaba sendo desafiado para um duelo no qual certamente perderá a vida.

 

 

Olhando essas sinopses, não dá pra dizer que essas obras são chatas e entediantes, né? Bem contrário disso, esses são livros clássicos envolventes, incríveis e inesquecíveis!

E a melhor parte vem agora: você pode adquirir esses 7 de uma vez só! Conheça a trilha Volta ao mundo em 7 clássicos

Essa trilha nasceu com o objetivo de trazer os livros clássicos de um jeito que você nunca viu antes. Por isso, além do box com 7 obras do mundo todo em edição exclusiva — passando pelo Brasil, Estados Unidos, Rússia, Japão, Nova Zelândia, Inglaterra e África do Sul, em épocas e momentos históricos distintos —, teremos um curso desenvolvido em parceria com a Casa do Saber. Ao longo das aulas ministradas por convidadas como Rita Von Hunty, você vai compreender — e redescobrir —  o universo dos clássicos de forma descomplicada e inovadora, indo além do óbvio com obras fora do eixo América do Norte-Europa.

Conheça esse projeto que irá te fazer se apaixonar — ainda mais —  pela literatura clássica. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados