Listas

13 frases de abertura famosas da literatura

Share this post

Um bom começo de livro é essencial para prender o leitor e encantá-lo com a história desde as primeiras palavras. Abaixo, separamos alguns dos inícios mais célebres da literatura:

 

“O Sr. e a Sra. Dursley, da Rua dos Alfeneiros, nº 4, se orgulhavam de dizer que eram perfeitamente normais, muito bem, obrigado.”

Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J. K. Rowling

 

“Tudo no mundo começou com um sim.”

A hora da estrela, de Clarice Lispector

 

“Se querem mesmo ouvir o que aconteceu, a primeira coisa que vão querer saber é onde eu nasci, como passei a porcaria da minha infância, o que meus pais faziam antes que eu nascesse, e toda essa lengalenga tipo David Copperfield, mas, para dizer a verdade, não estou com vontade de falar sobre isso.”

O apanhador no campo de centeio, de J. D. Salinger

 

“Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que o pai o levou para conhecer o gelo.”

Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez

 

“Todas as famílias felizes são iguais.”

Anna Karienina, de Liev Tolstói

 

“É uma verdade universalmente conhecida que um homem solteiro, possuidor de uma boa fortuna, deve estar necessitado de esposa.”

Orgulho e preconceito, de Jane Austen

 

“Uma noite destas, vindo da cidade para o Engenho Novo, encontrei no trem da Central um rapaz aqui do bairro, que eu conheço de vista e de chapéu.”

Dom Casmurro, de Machado de Assis

 

“Quando eu era mais jovem e mais vulnerável, meu pai me deu um conselho que muitas vezes volta à minha mente.”

O grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald

 

“No dia seguinte ninguém morreu.”

As intermitências da morte, de José Saramago

 

“Serei eu o herói da minha própria história ou qualquer outro tomará esse lugar?”

David Copperfield, de Charles Dickens

 

“Mrs. Dalloway disse que ela mesma iria comprar as flores.” 

Mrs. Dalloway, de Virginia Woolf

 

“Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.”

A metamorfose, de Franz Kafka

 

“Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico como saudosa lembrança estas memórias póstumas.”

Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis

 

De quais outros inícios de livro você se lembra? Compartilhe conosco nos comentários.

4 comments

Guilherme 4 de julho de 2018 Responder

“Vais encontrar o mundo, disse-me meu pai, à porta do Ateneu. Coragem para a luta” – O Ateneu, de Raul Pompeia,

Guilherme 4 de julho de 2018 Responder

“Nonada. Tiros que o senhor ouviu foram de briga de homem não, Deus esteja. Alvejei mira em árvore, no quintal, no baixo do córrego. Por meu acerto”. – Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa.

Julia 9 de julho de 2018 Responder

“Num buraco do chão vivia um hobbit. Não se tratava de um buraco húmido, sujo e desagradável, cheio de restos de vermes e com um cheiro repugnante, nem tão-pouco de um buraco arenoso, nu e seco, sem nada para uma criatura se sentar ou em que comer: era um buraco de hobbit e isso significa conforto.” O Hobbit, J. R. R. Tolkien.

Otávio Lucas 17 de julho de 2018 Responder

Na minha edição de Anna Karenina a frase completa é assim: Todas as famílias felizes se parecem, cada família infeliz é infeliz à sua maneira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados