Matérias

Gabriel García Márquez em 2 minutos

Share this post

Inspirado por Faulkner, Kafka e pela sua avó, Nobel de Literatura, correspondente internacional e contando com uma visão sobrenatural para escrever sua obra-prima, Gabriel García Márquez é um dos maiores nomes da literatura mundial. Saiba mais sobre Gabriel García Márquez em apenas 2 minutos!

Assista ao vídeo:

Qual outro escritor você gostaria de ver nessa série? Deixe nos comentários!

Dizem que Gabriel García Márquez, ou Gabo, descobriu sua veia literária ao ler A metamorfose, de Kafka. Sua maior influência foi o estadunidense William Faulkner. Mas ele tinha outra inspiração muito importante: conta que sua avó tratava o extraordinário como algo natural e que foi essa a fonte de toda a visão mágica, supersticiosa e sobrenatural da realidade que empregou em suas obras.

Nascido em Aracataca, na Colômbia, em 1927, foi parte do chamado boom latino-americano do final da década de 1960, que também emplacou internacionalmente escritores como Mario Vargas Llosa, Carlos Fuentes, Jorge Luis Borges e Julio Cortázar. Gabo e Vargas Llosa, por sinal, foram amigos pessoais até uma ruptura, em 1976. O motivo da briga e fim da amizade dos dois permanece desconhecido.

Em 1955, publicou seu primeiro romance, A revoada, e mudou-se para a Europa como correspondente de jornal. Ao viver em países como França, Alemanha, Polônia e Hungria, ficou fascinado pelas diferenças culturais em relação à sua terra natal, sentimento que virou tema de diversos de seus contos.

Um dia, enquanto dirigia da Cidade do México a Acapulco, teve uma visão do livro que vinha ruminando há anos. Largou o emprego e trabalhou mais de oito horas por dia durante dezoito meses para escrever a obra-prima Cem anos de solidão, marco do realismo mágico. Lançada em 1967, conta as histórias fantásticas que se passam com as gerações da família Buendía no vilarejo de Macondo.

Na madrugada de 21 de outubro de 1982, exilado no México para fugir da prisão pretendida pelo exército da Colômbia por uma suposta vinculação a um movimento socialista, Gabriel García Márquez recebeu a notícia que toda a América Latina aguardava: a Academia Sueca acabava de lhe outorgar o Prêmio Nobel de Literatura. Na ocasião do seu recebimento, proclamou “A Solidão da América Latina”, um dos mais notórios discursos da história do prêmio. Apenas três anos depois do reconhecimento, publicou o romance O amor nos tempos do cólera com uma extraordinária tiragem inicial de 750 mil exemplares.

Em abril de 2014, faleceu esse grande expoente literário. Admirado e traduzido por todo o globo, Gabriel García Márquez vendeu mais de 40 milhões de livros e, com sua literatura, levou um pouco da América Latina para o resto do mundo.

2 comments

Maria de Fátima Rodrigues dos Santos 4 de fevereiro de 2020 Responder

Gostaria de ver o escritor Érico Verissimo.

Jane Maria Ulbrich 6 de fevereiro de 2020 Responder

Dois minutos que valem muito a pena. Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados