Matérias

Quem foi Alfred Nobel e como surgiu o Prêmio?

Share this post

O Prêmio Nobel é concedido, anualmente, em 6 categorias: Física, Química, Medicina, Literatura, Paz e Economia. Os Prêmios não são atribuídos postumamente e cada laureado recebe uma medalha de ouro, um diploma e uma quantia em dinheiro.

Você sabe quem foi Alfred Nobel e por que ele criou o Prêmio?

Vida

Nascido em uma família de engenheiros, em 1833, em Estocolmo, Suécia, Alfred Nobel teve o interesse por química despertado desde cedo. Ao longo de sua vida, inventou diversos dispositivos, até chegar à sua obra prima: a dinamite. Inicialmente, o explosivo não foi desenvolvido para que fosse utilizado na guerra, e sim para facilitar a realização de demolições. Em 1888, quando seu irmão Ludvig faleceu, um jornal francês enganou-se achando que tinha sido Alfred, e noticiou “morre o mercador da morte”.

Indignado com o modo como estava sendo lembrado e com o uso a que estava sendo destinada a dinamite, Nobel tentou se redimir. Mudou seu testamento, e designou que toda sua fortuna fosse utilizada para premiar, anualmente, pessoas que prestassem grandes serviços à humanidade, nas mais diversas áreas do conhecimento.

Suécia e Noruega

Todos os prêmios são entregues na Suécia, à exceção do Nobel da Paz, que tem sua cerimônia em Oslo, na Noruega. Na época em que viveu Alfred Nobel, existia uma união entre Suécia e Noruega. No entanto, enquanto a Suécia era um país militarizado, a Noruega sempre prezou pela paz. Acredita-se que esse seja o motivo pelo qual Nobel determinou que o Prêmio da Paz fosse concedido na Noruega, e não na Suécia.

Literatura

Inicialmente, as pessoas surpreenderam-se que em seu testamento estivesse o pedido de que também fossem premiados escritores. O que muitos não sabiam, porém, é que Nobel sempre nutriu um apreço muito grande pelos livros, e reunia milhares de exemplares em sua biblioteca pessoal. Quando suas invenções não estavam tomando todo seu tempo, Nobel dedicava-se também a escrever.

1 comment

Viviane Margarito 12 de outubro de 2018 Responder

Uma invenção nunca é idealizada para o uso do mal, mas ainda somos setes humanos em processo de evolução, aprendendo a ter boas escolhas. Adorei a história desta pessoa que, ao logo de sua vida não desistiu do propósito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados