Listas

9 coisas que deixarão qualquer leitor nostálgico

Share this post

Você também acha que algumas das suas melhores memórias estão temperadas de nostalgia? Quando falamos de um assunto tão particular e emocional quanto a leitura, é normal que o apego às obras do passado seja ainda mais forte. Por isso, duvidamos que você não vá mergulhar nesse sentimento ao relembrar pelo menos algumas das 9 coisas abaixo!

Círculo do Livro

Pertencente ao Grupo Abril, a editora Círculo do Livro foi criada em 1973. Ela vendia seus livros através de um clube, onde o sócio, que deveria ser indicado por outra pessoa, precisava escolher quinzenalmente ao menos um livro do catálogo para permanecer associado. Esse catálogo, chamado Revista do livro,  possuía dezenas de títulos para escolha. Uma vez encomendado, o título era entregue a domicílio por um vendedor da editora. A Círculo do Livro era conhecida por suas edições bem acabadas e, em um período de 10 anos, chegou a 800 mil sócios. O clube encerrou suas atividades no final da década de 1990.

Coleção Imortais da literatura universal

A coleção, lançada pela Abril Cultural entre 1970 e 1972, contava com 50 livros e mais 3 volumes especiais contendo breves biografias dos autores publicados, com pinturas da época e fotografias dos escritores. Os livros vermelhos com detalhes dourados e capa dura são facilmente reconhecíveis e até hoje encontrados em sebos. Entre os títulos publicados pela coleção estão Os irmãos Karamazov, de Fiódor Dostoiévski, O morro dos ventos uivantes, de Emily Brontë e Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro, de Machado de Assis.

Enciclopédia Barsa

A primeira enciclopédia do Brasil teve sua edição de estreia em 1964. A Barsa foi redigida por brasileiros, tendo em seu corpo editorial nomes como Antonio Callado, Jorge Amado, Gilberto Freyre, Antonio Houaiss e Oscar Niemeyer. Desde 2000, a obra possui uma versão digital, mas a versão impressa não deixou de existir: em 2012, 18 novos volumes foram lançados, com cerca de 135 mil verbetes. A enciclopédia busca apelar não apenas aos estudantes, mas aos pais destes que, impossibilitados de possuir a obra em suas próprias épocas escolares, veem nos filhos uma oportunidade de satisfazer um desejo antigo.

Gibis da Turma da Mônica

A série de histórias em quadrinhos criada pelo cartunista Mauricio de Sousa começou em 1959, com tirinhas de jornal que traziam Bidu e Franjinha como personagens principais. A Mônica, que estreou nas tiras do Cebolinha e teve sua primeira revistinha publicada em 1970, foi criada em 1963 tendo como inspiração a filha do cartunista. Além dos protagonistas Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão, a Turma da Mônica engloba ainda outros núcleos, como a Turma do Chico Bento e a Turma do Penadinho. Ao final de cada gibi, a tirinha em 3 quadros é uma marca das edições.

Manuais Disney

Além de gibis, livros e álbuns de figurinhas, os personagens da Disney estrelaram manuais que fizeram imenso sucesso no Brasil nas décadas de 70 e 80. Lançado pela Abril em 1971, o primeiro volume dos Manuais Disney, o Manual do escoteiro mirim, trazia uma variedade de ilustrações e dicas sobre acampamentos, brincadeiras ao ar livre e trabalhos manuais, entre outros. A coleção somou 16 manuais em capa dura e outros em brochura. Muitos deles traziam como temática uma característica de seus personagens: o Manual da Vovó Donalda continha receitas culinárias, o Manual do Zé Carioca tratava sobre futebol e o Manual do Professor Pardal era sobre ciências. A editora Abril passou a relançar a coleção na íntegra a partir de 2016.

Onde está Wally?

Criada pelo inglês Martin Handford, a série de livros encanta adultos e crianças que não descansam até encontrar Wally em meio à multidão. O primeiro de 7 livros foi lançado em 1987. Cada ilustração ocupa 2 páginas e traz ilustrações ricas, coloridas e cheias de detalhes, nas quais o personagem viaja por todos os cantos e se perde em meio a vários cenários. Ao longo dos livros, outros personagens recorrentes passaram a chamar a atenção e caracterizar as ilustrações.

Revista Recreio

Com curiosidades, quadrinhos, testes e piadas, a Revista Recreio é focada em crianças e pré-adolescentes. A publicação teve suas primeiras edições publicadas em 1969, com continuidade até 1981. Passaram pela editoria da revista autores infanto-juvenis famosos, como Ruth Rocha, Edith Machado e Ana Maria Machado. Em 2000, a revista voltou às bancas reformulada. Uma das principais marcas dessa nova fase foram as coleções de brindes que acompanhavam cada volume, com destaque para Letronix, RockAnimal e Circomix.

Série Vaga-Lume

Essa série, lançada pela editora Ática a partir de 1973, é composta por livros voltados ao público infantojuvenil e busca estimular a leitura dos jovens através de aventuras literárias. A coletânea é uma das principais utilizadas em escolas: o valor dos livros é acessível e cada edição traz um suplemento de leitura para ser preenchido no final. Inicialmente, a série lançava obras já consagradas; com o passar do tempo, porém, passou a apostar em novos escritores.

Turma dos Tigres

Lançada pela editora Ática como parte da coleção Olho no Lance, a série de livros juvenis Turma dos Tigres é de autoria do austríaco Thomas Brezina. Com mais de uma dezena de volumes traduzidos, as histórias são protagonizadas pelo trio Lucas, Patrick e Gigi, que viajam pelo mundo desvendando enigmas e mistérios. Um dos elementos mais apelativos dos livros é a pasta de detetive que cada um contém no final, onde um decodificador e outros materiais interativos incentivam o leitor a descobrir informações junto ao trio.

 

Lembrou de outras coisas que te deixam nostálgico enquanto leitor? Compartilhe com a gente nos comentários!

2 comments

Camila 30 de maio de 2018 Responder

Revista Recreio, que saudades! Adorei essa coletânea nostálgica! Bjs

Natália 8 de agosto de 2018 Responder

Toda a coleção “Salve-se quem puder”. Amava desvendar os enigmas dos livros!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*