Matérias

Conheça o Dr. Joseph Bell, o Sherlock Holmes que realmente existiu

Joseph Bell e Sherlock Holmes Share this post

Nascido no dia 22 de maio de 1859, Sir Arthur Conan Doyle foi o criador do célebre detetive Sherlock Holmes. Apesar das histórias protagonizadas pelo personagem não serem seus únicos trabalhos publicados, certamente são aquelas que lhe deram a fama.

O brilhante Sherlock Holmes, entretanto, não é uma criação exclusiva da mente do escritor britânico. A inspiração para o personagem veio de uma pessoa muito próxima a Conan Doyle: o Dr. Joseph Bell, seu professor de medicina na Universidade de Edimburgo, na Escócia.

Joseph Bell nasceu em 1837 na capital escocesa e se formou em medicina na mesma universidade onde posteriormente daria aulas. Ele se especializou em cirurgia, servindo como cirurgião particular da Rainha Vitória quando esta se encontrava em terras escocesas. Além de um médico brilhante, o Dr. Bell era fascinado pela natureza, em especial pelas flores e jardins, e pela literatura, que exercia como poeta amador.

O que mais impressionava os alunos do Dr. Bell era sua incrível habilidade de observação. Ele analisava a forma como uma pessoa se movia, conseguindo distinguir se o paciente se tratava de um marinheiro ou de um soldado, por exemplo. Caso fosse um marinheiro, ele procurava por suas tatuagens em uma tentativa de saber por que lugares do mundo ele havia passado. O médico também treinou o ouvido para identificar diferenças sutis nos sotaques dos indivíduos e observava suas mãos para determinar a profissão que exerciam.

Além da espantosa capacidade dedutiva, Sherlock Holmes compartilha muitas características físicas com o Dr. Bell: o jeito enérgico de caminhar, o nariz e o queixo angulares, a testa alta e o brilho astuto dos olhos. Assim como o Dr. Bell fazia com seus alunos, Sherlock Holmes gosta de incentivar o Dr. Watson, seu companheiro e melhor amigo, a exercitar a capacidade analítica e tirar suas próprias conclusões. Conan Doyle foi, ele mesmo, uma espécie de Dr. Watson para o mestre, servindo como assistente do professor ao final do segundo ano de faculdade. O escritor divide com o personagem, ainda, a formação acadêmica em medicina.

A referência ao Dr. Bell é tão clara que Robert Louis Stevenson, famoso escritor escocês, escreveu ao amigo Conan Doyle, após ler uma das histórias de Sherlock Holmes: “Seria esse meu velho amigo Joe Bell?”. O criador do personagem não deixou dúvidas. Em carta endereçada ao Dr. Bell, em 1892, admite: “É certamente a você que eu devo Sherlock Holmes”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados