Listas

5 livros fundamentais para conhecer Clarice Lispector

Clarice Lispector Share this post

Clarice Lispector é um dos grandes ícones da literatura brasileira. Nascida em 1920 como Chaya Lispector, chegou ao Brasil nos braços dos pais Pinkhas e Mania em 1922, fugindo da perseguição aos judeus na Ucrânia. Apesar de terem desembarcado em Maceió, a escritora considerava como sua cidade natal o Recife, onde morou dos 4 aos 15 anos.

Sua obra está repleta de mergulhos psicológicos profundos a partir de cenas do cotidiano. Além de romances, escreveu uma série de contos e crônicas e passou pelas redações de jornais como A Noite Correio da Manhã.

Quer adentrar a obra dessa expoente da literatura nacional? Conheça cinco livros fundamentais:

Perto do coração selvagem (1943)

O romance de estreia de Clarice Lispector já traz a marca do seu estilo introspectivo e foi premiado como melhor romance de estreia pela Fundação Graça Aranha, em 1944. O livro conta a história de Joana, uma protagonista que expressa sua vida interior por meio de fluxos de consciência: ela contrapõe as experiências de menina e mulher, intercala passado e presente. O original de Perto do coração selvagem foi encaminhado para os dirigentes do jornal A Noite, onde Clarice trabalhava na época e que contava com uma editora, na qual foi publicado. O livro deu o que falar no círculo literário, recebendo elogios da crítica e comparações com escritores como Virginia Woolf e James Joyce. Mais tarde, Clarice afirmaria não ter lido nada desses autores antes de escrever seu primeiro romance. Ao mesmo tempo, em função de seu sobrenome incomum, tiveram início os boatos de que Clarice Lispector seria, na verdade, o pseudônimo de algum escritor famoso.

Laços de família (1960)

A primeira coletânea de contos lançada por Clarice contém, entre suas treze histórias, algumas das narrativas curtas mais célebres da escritora. É o caso de “Amor”, no qual a visão de um cego mascando chiclete leva a protagonista, uma dona de casa dedicada ao marido e aos filhos, a confrontar a própria existência. Da mesma forma, os demais contos do livro trazem personagens surpreendidos por uma perturbação da banalidade de seus cotidianos, a partir da qual desconstroem a realidade que conhecem e são levados a uma contemplação filosófica da vida.

A paixão segundo G. H. (1964)

G. H., a protagonista e narradora do romance, despede sua empregada doméstica e decide fazer uma limpeza no quarto de serviço. A partir desse enredo aparentemente banal, nasce uma das cenas mais conhecidas da literatura brasileira: o momento em que G. H. esmaga e coloca na boca a barata que encontra dentro de um dos armários. Ocorre, então, a saída da rotina em direção ao selvagem que habita essa mulher, dona de casa e mãe.

A hora da estrela (1977)

Lançado pouco antes do falecimento da escritora, em 1977, A hora da estrela é protagonizado pela solitária Macabéa, alagoana que trabalha como datilógrafa no Rio de Janeiro. Clarice está presente na obra na forma do escritor Rodrigo S. M., que está à espera da morte e escreve essa história “na hora mesmo em que sou lido”. Desprovida de atrativos, Macabéa passa as horas vagas ouvindo o rádio e namora o metalúrgico nordestino Olímpico, que acaba a deixando para ficar com Glória. A protagonista continua sozinha até que um dia, seguindo uma recomendação de Glória, visita uma cartomante que revela toda a inutilidade de sua vida, mas também prevê o casamento com um estrangeiro rico.

A descoberta do mundo (1984)

Clarice exerceu o jornalismo desde 1941, quando ingressou como repórter na Agência Nacional. A descoberta do mundo é um livro de crônicas compiladas após sua morte e escritas para o Jornal do Brasil, nas quais discorre sobre temas variados: acontecimentos recentes ou cotidianos, suas angústias e indagações acerca da existência. Sua coluna foi um espaço de aproximação e diálogo com os leitores, no qual respondia a cartas e conversava sobre textos anteriores.

Você já leu algum livro de Clarice Lispector?

15 comments

Regina 18 de outubro de 2019 Responder

Não li , nem um livro , mas vou lê , depois de lê sobre os livros aqui, fiquei com muita vontade de conhecer melhor Clarice Lispecctor

Cláudia 7 de novembro de 2019 Responder

Destes só não li A Descoberta do Mundo. A mim, ela toca profundamente. Acho genial, criativa e comovente. Costumo ler grifando(quase tudo) .

Loni C Rösler 7 de novembro de 2019 Responder

Uma ideia: um combo destes cinco livros de Clarice Lispector.
Eu adoraria!
Já li alguns (claro), mas gostaria de relê-los e de tê-los na prateleira.

Henri 7 de novembro de 2019 Responder

Clarice é a minha autora favorita. Já li todos os livros dessa seleção – A Hora da Estrela é aliás o meu predileto de toda a sua obra. É incrível como a história de Macabéa ainda faz-se atual principalmente nesse Brasil, hoje mais do que nunca, pobre de todo o tipo de respeito para com a figura da mulher que os Bolsonaros nos apresentam.

Maria das Graças Andrade e Fonseca e 7 de novembro de 2019 Responder

Minha grande paixão: Clarice Lispector! Principalmente “Uma aprendizagem ou O livro dos Prazeres”!!!
Parabéns à Tag por divulgar os livros de Clarice!

Joselane da Assunção Soares 7 de novembro de 2019 Responder

Li muito pouco da obra de Clarice. Apenas fragmentos. Gostaria de ler mais e conhecer sua obra.

JAN REIS 7 de novembro de 2019 Responder

Já li quase todos os livros de Clarice Lispector. Adoro A Paixão Segundo G.H e Minhas Queridas, que são meus preferidos. Há de se ter coragem de ler seus livros, pois sua escrita é por demais perturbadora e instigante. De fato, “não se lê Clarisse impunemnte”!

Ana Lúcia 7 de novembro de 2019 Responder

Eu tenho alguns livros dela , como também estudo sobre a Obra e biografia – Paixão Segundo G.H.; A Descoberta do Mundo; Água Viva; Laços de Família; A cidade sitiada; A Bela e a Fera; Correspondências; Clarice: uma biografia, de Benjamin Moser e A mística redeviva de Clarice Lispector: a paixão segundo G.H., de João Alfredo Montenegro.

Uma de minhas autoras preferidas.

Cláudia 7 de novembro de 2019 Responder

Já li e tenho imensa admiração por esta mulher e escritora, e quero ler muito mais sobre sua obra.

Tuta de Paula 8 de novembro de 2019 Responder

Clarice Lispector, livros de cabeceira. Com toda certeza, li e recomendo! Sobretudo “A hora da estrela” e por tabela o filme homônimo de Suzana Amaral. Espetáculo a parte #Listas #claricelispector #tutadepaula

Amarílis 8 de novembro de 2019 Responder

Amo os livros da Clarice por ela seguir essa linha existencialista em que a partir de um fato do cotidiano passamos a repensar nossa vida. Isso fica muito nítido também no livro a paixão segundo G.H.

Benilda 8 de novembro de 2019 Responder

Não li nada da autora . Gostei da apresentação dos romances .

Emília Bento de Araujo 10 de novembro de 2019 Responder

Não li,mas despertou a vontade de ler,depois que fiquei conhecendo um pouco da autora.

Maria Augusta Martins 12 de novembro de 2019 Responder

Li todos! Alguns mais de uma vez. Agora fiquei com vontade de reler todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Posts relacionados